A Fita Branca

Poster do filme A Fita Branca
4 votos
8 votos
0 voto
10 votos
4 votos

Sinopse

Um vilarejo protestante no norte da Alemanha, em 1913, às vésperas da Primeira Guerra Mundial. A história de crianças e adolescentes de um coral dirigido pelo professor primário do vilarejo e suas famílias: o barão, o reitor, o pastor, o médico, a parteira, os camponeses. Estranhos acidentes começam a acontecer e tomam aos poucos o caráter de um ritual punitivo. O que se esconde por trás desses acontecimentos?

Curiosidades

- Ganhou a Palma de Ouro, no Festival de Cannes.

- Rodado em preto e branco.

- Crítica: A Fita Branca (1).

- Crítica: A Fita Branca (2).

Elenco

  • Burghart Klaubner
  • Christian Friedel
  • Gabriela Maria Schmeide
  • Janina Fautz
  • Josef Bierbichler
  • Leonard Proxauf
  • Leonie Benesch
  • Maria-Victoria Dragus
  • Marisa Growaldt
  • Michael Kranz
  • Steffi Kuhnert
  • Susanne Lothar

Imagens e Fotos

Assistir Trailers e Comerciais

Veja também, no mesmo Gênero

Comentários (57)
Mauricio Diniz comentou: Me interessei bastante pela história do filme.
Quero ver sim...
Nota 10 11/09/2013 | Responder

Claudio J A Hess comentou: é da vida...
os acostumados com Batman jamais vão "curtir" um filme em q há uma cena q acontece atrás de uma porta!!!
o menino c o passarinho merece um Oscar, ele nos encanta duas vezes!!!
aliás, as crianças estão todas ótimas!!!
Nota 8 20/07/2013 | Responder

Augusto Schnabel comentou: Acho engraçado (e triste) os comentários dizendo que o filme é "chato" - Dizer que "o roteiro não se desenvolve", "não acontece nada de impactante" e etc dá no mesmo.
Perdoa-se qualquer filme vazio se ele for entretenimento, mas o contrário nunca.
Nota 10 24/01/2013 | Responder

Kahiky Ferreira Nascimento comentou: bato palmas de pé!demonstra sem medo uma crueldade e um realismo poucas vezes visto,muito bom Nota 7 10/01/2013 | Responder

Wilken Vieira comentou: Vamos ver. Nota 1 02/01/2013 | Responder

Helton Ricardo comentou: Concordo com Brua: o filme é pesado e choca pelo apelo ao "caricaturismo" do rigor disciplinar e pela total falta de liberdade da época. Mas considere este fator principal: A ÉPOCA. Aquela foi uma época de rigores (início do sec XX). Além disso se trata da Alemanha (um país que prima por rigor disciplinar - cultural). E a recíproca também é verdadeira: da mesma maneira que aquela realidade nos comove, a NOSSA realidade cauasaria espanto (ainda maior) naqueles personagens. Talvez mesmo horror e uma maior rejeição... enfim, tudo é tão relativo. Veja a Alemanha de hoje: ESPLENDIDA (igualitária, humana, tolerante, etc). procura fazer tudo como reza a cartilha dos novos tempos... só não sei até quando... Assim como também foi considerada esplendorosa pelos alemães que construíram o Terceiro Reich. Mas não fiquem "encucados" com o filme. Absorva nele o que há de positivo: lembre-se do garotinho que doa seu pássaro para a felicidade do seu pai e da bondade no coração daquele professor. Procurem no filme a bondade no coração de alguns de seus personagens e os sinais de que nenhuma opressão resiste para sempre, pois para toda ação tem uma reação (ainda que um pássaro pague a conta). Nota 10 27/08/2012 | Responder

Helton Ricardo comentou: Concordo com Brua: o filme é pesado e choca pelo apelo ao "caricaturismo" do rigor disciplinar e pela total falta de liberdade da época. Mas considere este fator principal: A ÉPOCA. Aquela foi uma época de rigores (início do sec XX). Além disso se trata da Alemanha (um país que prima por rigor disciplinar - cultural). Meu avô (nordestino idem a mim) nascido em 1928 (muito após o período retratado na Fita Branca) apanhou do seu pai por ter ELE MESMO sofrido um sério acidente que o feriu bastante! Meu avô até hoje (com 89 anos) ainda tem as cicatrizes profundas nas pernas. Meu avô não é e nunca foi um homem ruim (ao contrário). Agora outra questão: a recíproca também é verdadeira. Da mesma maneira que aquela realidade nos comove, a NOSSA realidade cauasaria espanto (ainda maior) naqueles personagens. Talvez mesmo horror e uma maior rejeição... enfim, tudo é tão relativo, né verdade? Veja a Alemanha de hoje: ESPLENDIDA (igualitária, humana, tolerante, etc). procura fazer tudo como reza a cartilha dos novos tempos... só não sei até quando... Assim como também foi considerada esplendorosa pelos alemães que construíram o Terceiro Reich. Mas não fiquem "encucados" com o filme. Absorva nele o que há de positivo: lembre-se do garotinho que doa seu pássaro para a felicidade do seu pai e da bondade no coração daquele professor. Procurem no filme a bondade no coração de alguns de seus personagens e os sinais de que nenhuma opressão resiste para sempre, pois para toda ação tem uma reação (ainda que um pássaro pague a conta). Nota 8 27/08/2012 | Responder

Brua comentou: O filme é terrível, muito forte, demorei quase um mês para conseguir parar de pensar nele e me sentir péssima. Para aqueles que não se importam com esse tipo de coisa, assistam, acho que faz bem para pais verem o que certo tipo de educação causa aos filhos.

Mas realmente, é algo pesado.
Nota 1 24/05/2012 | Responder
Regina Celi Sant Ana respondeu: Realmente ele fica na cabeça... Assisti ontem, na TV paga e não consigo tirá-lo da cabeça. Com certeza vou assisti-lo de novo (e de novo?) A falta da resposta é o que mais assusta? Será que alguém já conseguiu responder o porque dos horrores do nazismo, desvendou a origem daquelas atrocidades? Esse filme não poderia ter um final de novela mesmo! 01/08/2012


Maisa comentou: o filme não tem o final. fica parecendo que vai ter a Fita branca 2, que o filme continua em outro capitulo. Nota 3 24/03/2012 | Responder

Danilo comentou: O filme é muito bom. Quem diz que nao ficou puto quando acaba está mentindo, mas afinal, nem tudo tem uma solução ou um final claro na vida. O doutor ofendendo a parteira foi a cena do filme. Nota 9 27/02/2012 | Responder

Luiz Carlos comentou: O Professor estava certo,as crianças escondiam algum segredo; Os adultos, por sua vez, eram dominados pelo Pastor. Não gostei, pois não houve conclusão e sim fica a critério do telespectador em um universo de várias alternativas (sonhos da menina, o médico pervertido?,a personalidade do Professor e etc.) Nota 5 12/12/2011 | Responder

flavio souza comentou: não concordo que haja semente do hitlerismo, do nazi-fascismo ou do nacional-socialismo nas relações que o filme aborda!essas relações retratam resquícios dos habitos de uma sociedade de corte (como diz norbert Elias no livro "Os alemães")dos útimos Hohenzollern. O quero dizer é que o filme retrata, pode-se dizer, uma comunidade próxima o que Max Weber considerava "a moral dos protestantes" mesclada às indecisões advindas da ética capitalista (e a 1ª guerra mundial é uma luta entre o tradicional-aristocrático e o moderno retraduzido pela lógica do Kaiserreich na Alemanha e Aústria. Na parte de montagem e roteiro, não vejo problema nenhum! Hanecke sempre deixa para os cine-espectadores a decisão final sobre o assunto tratado (veja o filme "violência gratuíta" e confira o que estou dizendo)...todos são suspeitos inclusive quem viu o filme e concordou com uma série de pequenas maldades. Nota 10 10/08/2011 | Responder

Andrea comentou: O filme é genial, e como foi feita a sequência das filmagens só faz aumentar o suspense. Para entender quem comete os crimes é fundamental entender em que época se passa a história. É uma crítica velada a sociedade alemã pré-guerra, e como surgiu a semente do Hitlerismo. Brilhante! Nota 10 22/07/2011 | Responder

Fernando Carvalho comentou: Está claro que o diretor poderia ter dado mais pistas sobre quem estava comentendo os crimes, para o filme se tornar mais agradável. A cena mais comovente foi a do filho do pastor doando seu passarinho e demonstrando assim um amor que nenhum dos pais do filme conseguia demonstrar verdadeiramente. Nota 7 17/07/2011 | Responder

Thainá comentou: Eu achei chato! Nota 4 31/05/2011 | Responder

LeoBr comentou: Filme excelente. Quem acha que é ruim, é porque talvez não entenda nada de cinema... Ou só assiste produções enlatadas hollywoodianas... Nota 10 19/05/2011 | Responder

JULIO comentou: ...O BARÃO É BARÃO DO REPOLHO.O PROFESSOR, O É SÓ NO NOME, VISTO QUE NUNCA É VISTO DANDO AULA, APENAS TOCANDO.A ÚNICA COISA QUE SALVA, É O AMBIENTE PRÉ - NAZISMO, SENÃO A NOTA ERA "0". Nota 1 22/04/2011 | Responder

JULIO comentou: SEM DÚVIDA, O PIOR FILME QUE EU JÁ VI.DEIXA A DESEJAR EM TODOS OS ASPECTOS.RITMO LENTO NÃO DETALHADO, O FILME NÃO DEIXA NADA CLARO, FAZENDO QUE AO TÉRMINO E MESMO DURANTE O FILME, SURJAM PERGUNTAS DO TIPO - SERÁ QUE É SÓ ISSO MESMO OU EU NÃO ENTENDI? Nota 1 22/04/2011 | Responder

Vitor de Araújo comentou: O filme é G-E-N-I-A-L.
Pena que algumas pessoas que não entenderam e deram notas baixas :\
Nota 9 19/04/2011 | Responder

Daiane comentou: Muito fraco este filme,poderia ser muito melhor. Nota 2 18/04/2011 | Responder

Neide comentou: Um filme muito bom, bem tramado e com aquele ar de fim-sem-fim do cinema europeu. Estamos acostumados demais a filmes onde tudo é certinho e o bem vence no final.
Um filme doce e real como nossa própria vida. As crianças em um perfeito estado de pureza
Nota 10 28/02/2011 | Responder

Walmor Grade comentou: Este não é um filme de ação hollywoodiano, daqueles destinados a estupidificar todo mundo. Quem tiver interesse deve assistir aos extras até entendê-lo ou deve continuar vendo BBB. Nota 10 28/02/2011 | Responder

Rodrigo comentou: Fraco. Tinha potencial pra ser mil vezes melhor. Nota 3 24/01/2011 | Responder

sergio da luz comentou: Sem duvida uma bela obra, apesar de ficar claro o retrato da perda da inocência das crianças não fica evidente se o pastor e a religião são determinantes para os acontecimentos. O filme não é Hollywoodiano por isso ao terminamos de assistir restam somente Nota 9 14/01/2011 | Responder

thiago comentou: uma bela obra,intrigante...porém não se soube ao certo quem cometeu as atrocidades esse talvez tenha sido o único defeito do filme. Nota 8 12/01/2011 | Responder

Leo comentou: Perdoem se soo arrogante, mas realmente, esse filme não é para qualquer público. Melhor filme que já vi. Nota 10 28/12/2010 | Responder

Carlos Filho comentou: Parece que o roteirista leu Foucault (Vigiar e Punir, Microfísica do Poder) e pensou: isso dá um filme. Nota 8 25/10/2010 | Responder

Marcos comentou: Grande filme, antecipação da atmosfera na qual frutificou o nazismo, e onde as pessoas destinam sua energia para o imaginário da intriga, da culpa do outro, do preconceito e hipocrisia religiosa. Nota 10 10/10/2010 | Responder

Daniel comentou: É uma pena, pois falando de cinema o filme tem bom clima mas o roteiro não se desenvolve. Torna-se chato e no final, a gente se pergunta: E daí? Se foi apenas um retrato da época, há filmes imensamente melhores do que este!O final é vazio! Nota 4 23/09/2010 | Responder

Valquíria Mattos comentou: mas afinal,quem era responsável pelas atrocidades? Todos os que saem de cena no final? Eram cúmplices? Só sei que o filme deixa claro porque o nazismo teve tantos seguidores: povo apático, submisso, sem vontade própria( só p/ maldades)! Nota 8 16/07/2010 | Responder

Deixe o seu comentário