Namoro ou Liberdade?

Poster do filme Namoro ou Liberdade?
  • That Awkward Moment

  • Estreia:
    20/03/2014
  • Estreia DVD:
    15/05/2014
  • Gênero:
    Comédia, Romance
  • Duração:
    94 min.
  • Origem:
    Estados Unidos
  • Direção:
    Tom Gormican
  • Roteiro:
    Tom Gormican
  • Distribuidor:
    Imagem Filmes
  • Classificação:
    14 anos
  • Ano:
    2014
3 votos
3 votos
0 voto
20 votos
3 votos

Sinopse

Jason (Zac Efron) e seu melhor amigo Daniel (Miles Teller) levavam uma vida de festas, farra e muita diversão, sem relacionamentos sérios. Após o divórcio de Mikey (Michael B. Jordan) juntam-se para ajudá-lo a esquecer a ex-esposa, só que aos poucos cada um deles começa a se envolver com diferentes mulheres que mudam seu jeito de pensar, até chegar ao momento onde deverão escolher entre a liberdade da vida de solteiro ou o compromisso de um namoro.

Curiosidades

  • A direção é de Tom Gormican, que trabalhou como produtor na comédia Para Maiores (2013). 
  • Namoro ou Liberdade? teve um orçamento de US$ 8 milhões.

Elenco


Imagens e Fotos

Assistir Trailers e Comerciais

Veja também, no mesmo Gênero

Comentários (9)
Henrique Klein comentou: A comédia surpreende, e o trio principal impressiona. Namoro ou Liberdade? é sem dúvidas, um bom filme. Nota 8 25/05/2014 | Responder

Mysael Jhonatas comentou: vou dar um a olhada!!! Nota 5 17/05/2014 | Responder

jackson comentou: muito legal bem engraçado gostei muito Nota 10 17/05/2014 | Responder

Helio Felix comentou: Assim, o longa se desenvolve seguindo as reviravoltas que as vidas de cada um dá e como elas afetam o relacionamento entre eles. Enquanto isso, o roteiro tenta rechear a história com piadinhas sem graça, quase sempre envolvendo banheiro e/ou promiscuidade, e que em nada colaboram com a construção do arco dramático de cada personagem ou mesmo com a narrativa em si, de forma que elas soam vazias e sem propósito. É o típico humor pastelão hollywoodiano em sua pior versão: machista, apelativo, sem refinamento algum e, na maioria das vezes, consequentemente, sem graça.

Claro que existem momentos que salvam o longa do desastre completo. Méritos mais para o carisma de Zac Efron e Michael B. Jordan, especialmente deste último, do que para a (falta de) consistência do roteiro em si. Ambos carregam a trama nas costas. Se a polêmica envolvendo a escolha de Jordan como o Tocha Humana levasse em consideração apenas carisma e talento, o que infelizmente não é o caso, com certeza ninguém contestaria seu nome. E Efron, apesar de não ser particularmente talentoso, definitivamente conseguiu se desvencilhar do fantasma chamado Troy Bolton que o assombrava desde o fim da trilogia “High School Musical”.

Nos outros segmentos da película, clichês e lugares-comuns; tudo o que já vimos diversas vezes em outros filmes semelhantes a este. Aqui, o que chama a atenção – negativamente – é a falha constrangedora em tentar criar um envolvimento emocional com os espectadores. Em momentos cruciais, quando, teoricamente, éramos para estar à flor da pele, a indiferença toma conta, principalmente por já sabermos como tudo aquilo irá terminar, tamanha a previsibilidade do script e a falta de criatividade dos realizadores na concepção da obra.

Neste sentido, não tem nem como atribuir culpa a terceiros, uma vez que Tom Gormican é responsável tanto pela direção quanto pelo roteiro, parecendo realmente acreditar que um discurso meloso e meia-boca no último ato pode mesmo salvar toda uma narrativa mal construída. Pior, a impressão que passa é a de que o diretor nunca de fato viu uma comédia romântica na vida, à medida que as resoluções que propõe soam tão genéricas e artificiais que podiam se encaixar em qualquer um desses enlatados do gênero que Hollywood produz a rodo todos os anos.

Dessa forma, dependendo quase exclusivamente do carisma de um ou outro nome do elenco para funcionar razoavelmente, “Namoro ou Liberdade” não cumpre de maneira minimamente satisfatória sequer a mais essencial de suas premissas, que é divertir e entreter o espectador. Quando uma obra não consegue alcançar nem o mais básico objetivo pela qual foi concebida, é sinal de que algo (ou muita coisa) deu errada.
Nota 4 31/03/2014 | Responder

Wesley.LDDS comentou: ruim ver Nota 1 22/03/2014 | Responder

jackson comentou: quero muito ver teve ser bem engraçado Nota 10 17/03/2014 | Responder

Cassiane comentou: QUEEERO VER Nota 10 13/03/2014 | Responder

Helio Felix comentou: não gosto de filme de romance Nota 4 28/02/2014 | Responder

brendo comentou: maça Nota 10 15/02/2014 | Responder

Deixe o seu comentário