Publicada em 30/09/2017 às 10:47

Comente


Filmes amados que fracassaram nas bilheterias! 

Mae

Muito tem se falado sobre o terror Mãe! ser um fracasso de bilheteria. O longa de Darren Aronofsky custou US$ 30 milhões e, até agora, não conseguiu se pagar com o faturamento mundial. 

São apenas duas semanas de lançamento, mas atualmente o destino de um filme é decidido no primeiro fim de semana. Apesar do suposto "fracasso", o longa vem despertando reações acaloradas tanto daqueles que gostam quanto dos que detestam o longa.

A crítica especializada também não se decidiu, com críticos dizendo que é o pior filme do século e outros aplaudindo a coragem dos realizadores em levar a história insana para as telas.

Situações assim não são novidade: alguns filmes hoje considerados clássicos intocáveis afundaram nas bilheterias quando lançados (será que esse será o destino do filme?). Vejamos alguns exemplos: 

Blade Runner 

Blade Runner
 
Custo: US$ 28 milhões
Bilheteria: US$ 27,5 milhões
Se hoje é um dos filmes mais cultuados e referência para tantos cineastas que nasceram depois de seu lançamento, na época Blade Runner não encantou o público. Lançado em 1982, ele mal se pagou nas bilheterias. Porém, em VHS e e DVD, tornou-se obrigatório para cinéfilos e fãs de ficção-científica. Dificilmente esse será o problema da continuação, que chega aos cinemas no início de outubro. 

Um Sonho de Liberdade

 
Custo: US$ 25 milhões
Bilheterias: US$ 16 milhões
O reconhecimento com várias indicações ao Oscar em 1994 não salvou o filme de ser um fracasso financeiro nos cinemas. Um Sonho de Liberdade foi descoberto pelo público em VHS, tornando-se um dos filmes mais alugados em 1995. Exibições nos canais de TV ajudaram a sedimentar esse clássico. O American Film Institute o colocou entre os 100 melhores filmes dos últimos 100 anos. 

Filhos da Esperança

Filhos da Esperança
 
Orçamento: US$ 76 milhões
Bilheteria: US$ 35,5 milhões
Dirigido por Alfonso Cuáron, o longa tem Clive Owen, Julianne Moore, Michael Caine e Chiwetel Efjor como protagonistas. Lançado em 2006, o filme não faturou nem metade do seu custo. Em DVD, arreacadou mais US$ 25,5 milhões e melhorou o prejuízo. 

A Fantástica Fábrica de Chocolates 

Fantástica Fabrica de Chocolate
 
Orçamento: US$ 3 milhões
Bilheteria: US$ 4 milhões
O filme de 1971 é um clássico infanto-juvenil e um dos filmes mais lembrados de Gene Wilder. Porém, quando foi lançado ele foi um fracasso e não gerou interesse do público. Como o filme não se mostrou lucrativo, a Paramount não renovou os direitos autorais e a Warner Bros. comprou. Assim, permitiu que o filme fosse exibido na TV e relançado em VHS nos anos 80, conquistando uma legião de fãs pelo mundo. 

Clube da Luta

Clube da Luta
 
Orçamento: US$ 63 milhões
Bilheteria: US$ 37 milhões
Lançado em 1999, este é considerado um clássico moderno e um dos melhores filmes de David Fincher, Clube da Luta foi um marco na carreira de Brad Pitt e Edward Norton, que se firmaram como atores ousados. Porém, na época de seu lançamento, o filme não se pagou nas bilheterias americanas. A 20th Century Fox não soube vender o filme que apontava críticas ao consumismo e à perversão masculina. No mercado de DVDs, o filme vendeu 6 milhões de cópias e arrecadou mais US$ 100 milhões. 

O Mágico de Oz

O mágico de Oz
 
Orçamento: US$ 2,7 milhões
Bilheteria: US$ 3 milhões
Em 1939, foi o filme mais caro da Metro-Goldwin Meyer (MGM), com cenários gigantescos e efeitos especiais avançados para a época. O estúdio perdeu dinheiro, mas recebeu 4 indicações ao Oscar (vencendo 2). Re-lançado 10 anos depois, o filme faturou mais US$ 1,5 milhão e iniciou uma vida longa de sucesso. 
 
Por Fabíola Cunha

Mais matérias...

Comentários (0)

Deixar um comentário


Nenhum comentário, ainda. Seja o primeiro a comentar!