Publicada em 12/04/2011 às 09:26

Comente


Os Animais mais Famosos do Cinema

Os Animais mais Famosos do Cinema

Quando uma produção cinematográfica conta com animais no elenco, o sucesso está garantido. Afinal, não importa a idade do público, muito menos seu estilo ou gosto por filmes. Basta os bichinhos pintarem na telona para hipnotizar todo mundo.

Diversos filmes já usaram e abusaram da inteligência e doçura dos cães para fazer rir ou chorar espectadores do mundo inteiro. Alguns diretores preferiram contar histórias com a ajuda de golfinhos e baleias. Há ainda os produtores que acreditaram que porcos e papagaios poderiam levar o público à loucura. Isso sem falar nos cães, que ganharam tanto espaço que dificilmente passam sem notar mesmo quando não são os donos da festa.

Em alguns filmes os protagonistas podem até não ser reais, apesar de apaixonarem a platéia da mesma forma, e aí quem faz o trabalho duro são os responsáveis pela criação. Em outros, o cansaço é dominado por algumas técnicas bem interessantes – são diversas as táticas usadas pelos diretores para não esgotar o pique dos astros peludos, “penudos” ou “escamudos”.

E tem de tudo nesse meio: cães falantes, gatos malignos, porcos tristes, guaxinins curiosos, passarinhos rebeldes... Eles fazem tanto sucesso que não dá mais para classificá-los em um gênero: animais fazem drama, romance, comédia, animação, filmes épicos, etc. Mas uma coisa é certa, quando os animais invadem a tela do cinema, pode preparar a pipoca porque vem diversão por aí. Veja só a lista que preparamos para você com os melhores filmes que revelaram os animais mais famosos do cinema.

Beethoven


Este simpático e atrapalhado cão da raça São Bernardo foi protagonista em nada menos do que sete filmes. O primeiro, lançado em 1992, fez bastante sucesso na época e isso explica febre das sequências que foram lançadas logo em seguida.

Até hoje, ao ver um São Bernardo por aí não tem quem não o chame de Beethoven. O querido destruidor, babão e bonachão encantou a todos nas suas desastrosas tentativas de conquistar o pai da família, que invariavelmente era o alvo preferido das suas trapalhadas.

O enredo é praticamente o mesmo em todas as sequências: a família Newton se envolve em muita confusão e encrenca por causa do cachorro. Mas mesmo sabendo o que vai acontecer depois, não há quem resista à figura do grandalhão.
 

Lassie


Até os dias de hoje, Lassie é sinônimo de cachorros da raça Collie. O primeiro filme estrelado pela famosa personagem canina Lassie foi lançado em 1943 a partir da adaptação de um livro escrito por Eric Knight.

Em seguida, diversos filmes com a mesma temática, em que a cachorrinha corajosa e fiel encarava diversas aventuras, foram lançados. O sucesso foi tão grande que a cadela foi parar nas telas de TV em um seriado que levava seu nome.

Pensa que acabou por aqui? Ainda não. A belíssima Collie conquistou muitos corações de espectadores e “atuou” tão bem nos filmes em que participou que ganhou até uma estrela na Calçada da Fama, em Hollywood.
 

Rin Tin Tin


A história do cão Pastor Alemão realmente poderia virar um filme. Mas peraí, o Rin Tin Tin não foi o protagonista de diversas produções cinematográficas? Sim, mas antes de falar sobre os filmes é preciso contar a história do cão-ator.

Em meados de 1918, na França, nasceu um cachorro da raça Pastor Alemão em uma ninhada de cinco filhotes. Por azar, ou sorte, os cães vieram ao mundo em uma estação de cães de guerra alemã abandonada. O sargento da aviação norte-americana, Lee Duncan, encontrou os filhotes e como nutria verdadeira paixão por cachorros resolveu levar dois deles para casa: uma fêmea e um macho.

Duncan resolveu adestrar os cães em sua casa, e logo percebeu que o macho tinha muitos dotes e muita facilidade para aprender. Nascia aí a estrela Rin Tin Tin.

Alguns meses mais tarde Rin Tin Tin é levado para Hollywood e estrela seu primeiro filme, Onde Começa o Norte. A princípio o cão deveria ser apenas um personagem secundário, mas seu talento excepcional fez com que ele se tornasse o protagonista dos filmes nos quais atuou, ofuscando atores humanos.

Ao todo, Rin Tin Tin interpretou vinte e dois filmes e emocionou platéias mundo afora. Quando morreu, aos quatorze anos, seu filho tratou de seguir os passos do pai e em seguida, seu neto surgiu nas telas. Mesmo assim, nenhum descendente seria capaz de repetir o feito do Rin Tin Tin original, um verdadeiro cão ator.
 

Marley


Este cão da raça labrador é o mais novo integrante do time de protagonistas caninos no cinema.

O filme Marley e Eu, lançado em 2008, é baseado em fatos reais e foi adaptado para as telas a partir do livro homônimo escrito por John Grogan.

No filme, um jovem casal de jornalistas se muda para a Califórnia e começam por lá a vida de casados. Jennifer (interpretada por Jennifer Aniston) perde o bebê que estava esperando e fica muito deprimida. Para tentar contornar a situação, John (Owen Wilson) sugere que eles comprem um cãozinho. Os dois se dirigem a casa de uma criadora de labradores e se deparam com uma ninhada. Escolhem o filhote mais desajeitado e o levam para casa.

A partir daí as confusões começam: ele rói tudo o que vê pela frente, derruba mesas de restaurante e protagoniza diversas outras situações hilariantes. No fim, o cãozinho acaba morrendo e nesta hora do filme é difícil que alguém tenha conseguido conter as lágrimas.
 

Babe


Um porquinho muito carismático e falante conquistou crianças e adultos ao protagonizar dois filmes: Babe, o Porquinho Atrapalhado, de 1996, e Babe, O Porquinho na Cidade, lançado em 1998.

No primeiro filme, quando o porquinho chega a uma fazenda, toda a rotina é alterada. É que o animalzinho acredita que pode trabalhar como os cães e se tornar um exímio pastor de ovelhas. Ele se sai muito bem na tarefa e seu dono chega a inscrevê-lo em um concurso para cães de pastoreio.

Na sequência o porquinho se diverte e também apronta muito em meio ao caos de uma cidade grande.

O filme australiano foi tão bem feito que faturou um Oscar de melhores efeitos especiais em 1996. Ainda levou para casa um Globo de Ouro na categoria de melhor comédia.
 

Flipper


Um adolescente segue as ordens da mãe e vai passar suas férias de verão na Flórida, na companhia de seu tio. A viagem não agrada o jovem Sandy (Elijah Wood) nem um pouquinho e ele acredita que a monotonia o acompanhará durante todo o período.

Ele percebe que estava enganado quando conhece o golfinho Flipper. A dupla inusitada logo firma uma bela amizade e o animalzinho ajuda Sandy a se aproximar do tio, além de acompanha-lo em diversas aventuras.

Há duas versões para este filme. O primeiro deles foi lançado em 1963, mas o mais famoso e conhecido é o de 1996, com Elijah Wood e Paul Hogan no elenco.
 

Keiko


A baleia orca Keiko protagonizou Free Willy, além das duas sequências do filme. Na primeira versão, uma baleia chamada Willy é capturada e aprisionada em um tanque. Um garotinho de 12 anos representa a única chance que o animal tem de sobreviver.

A estrela principal do filme morreu em 2003, aos 27 anos. A baleia foi capturada no início da vida e desde então foi mantida em cativeiro, estrelando filmes e divertindo plateias em parques temáticos.

Uma campanha foi feita para que ela voltasse ao seu habitat natural e pudesse se alimentar sozinha. Uma intensa mobilização fez com que o animal fosse transportado até a Islândia, onde participaria de um curso para reaprender a capturar seus alimentos.
 

Paulie


Na vida real, enquanto que alguns papagaios falam pelos cotovelos o dia todo, outros nem balbuciam uma única palavra. O cinema aproveitou a popularidade dos verdinhos para dar vida a Paulie, O Papagaio Bom de Papo.

No filme, um papagaio muito inteligente ensina uma menina que gagueja a falar corretamente. O pai da garotinha, infelizmente, não acredita que isso possa ser possível e o manda para fora de casa. Depois de ser enxotado de lá, Paulie sai por aí e conhece outras pessoas, como um ladrão e uma idosa cega, até que é levado para um instituto de pesquisa onde é mantido preso. Ele nem se importa muito com o fato de estar dentro de uma gaiola, mas fica extremamente desapontado por não poder ficar perto de Marie, a garotinha que ele ajudou.
 

Benji


O mesticinho peludo foi o queridinho da década de setenta. Benji era um cachorro pra lá de esperto que estrelou alguns filmes, nos quais ele inevitavelmente se metia em diversas aventuras. Mas como era de se esperar, o cãozinho sempre se livrava das confusões fazendo aquele gênero heróico que só um cão-protagonista poderia fazer.

O sucesso e o carisma do viralata foi tanto que ele logo passou do cinema para a televisão. Além dos 5 filmes da saga de Benji, o cão também marcou presença na série infantil “Benji, Zax e o Príncipe Alienígena”, onde ele vivia muitas situações emocionantes ao lado dos seus novos amigos.

Os americanos gostavam tanto dele que na época todo cãozinho peludo que nascia ganhava logo o nome do superstar. Uma curiosidade é que Benji, na vida real chamado Higgins, foi considerado um dos cães-atores mais brilhantes de toda a história, sendo capaz de criar personagens cada vez mais complexos ao longo de sua carreira. A sequência foi dada após sua morte, porém como ele não tinha raça definida, era evidente que se tratava de um outro cachorro.
 

Jerry Lee


O pastor alemão policial é tão rabugento quanto o seu parceiro, mas não dá pra negar que os dois formaram uma dupla imbatível em K-9 Um Policial Bom pra Cachorro. Juntos, humano e cachorro, eles mostram porque o cão é o melhor amigo do homem – ao mesmo tempo em que aprontam sem parar um com o outro, acabam descobrindo que não vivem separados.

A atuação de James Belushi não era surpresa para ninguém, mas aquele cão malandro surpreendeu o público com seu jeito, digamos, peculiar de ser. Já é sabido que os cães da raça pastor alemão são considerados muito inteligentes e dinâmicos, mas diferente de Rin Tin Tin, Jerry aposta no seu senso de humor e personalidade marcante para cativar a todos. E consegue. O cão fez tanto sucesso que arrastou o filme para mais duas versões – que infelizmente não foram interpretadas por ele, que em plena atividade policial morreu em 1991 ao levar um tiro de um bandido.


Por Vivian Fiorio

Veja também

Mais matérias...

Comentários (2)

Super 10 comentou: cade o garfied? 10/06/2013 | Responder

deby m!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! comentou: eu também acho o filme sempre ao seu lado um lindo filme. Nota 10 07/06/2012 | Responder

Deixe o seu comentário
Publicidade