Publicada em 17/03/2014 às 13:37

Comente


Qual será o futuro das séries?

Se você tem mais de 25 anos, provavelmente o modo como você assiste séries hoje em dia deve ser diferente de como você assistia há 10 anos. Isso mostra o quão rápido o mercado está mudando. 

Para comprovar esta mudança, abaixo vou mostrar uns números que são, no mínimo, interessantes. Em janeiro foi divulgada uma pesquisa na qual mostrava que a Netflix havia passado a toda poderosa HBO em número de assinantes nos Estados Unidos. Segundo a pesquisa, a Netflix possuía 29,9 milhões de assinantes contra 28,7 milhões de assinantes da HBO. Veja abaixo o gráfico divulgado pela QZ.com em outubro de 2013:

Outro dado interessante é que nos Estados Unidos, cerca de 32% das casas possuem um serviço de TV a cabo Premium, como HBO, enquanto que 27% das residências já possuem assinatura em alguma serviço de streaming, como a Netflix.

Claramente os números mostram que o número de assinantes de streaming vem crescendo, enquanto o de assinantes de TV a cabo Premium vem caindo, ou na melhor das hipóteses, está estagnado.

E para completar os nossos dados, se você somar o número de downloads ilegais das 10 séries mais pirateadas em 2013, temos mais de 30 milhões de downloads ilegais.

Após ter acesso a estes dados, sinto-me seguro em afirmar que estamos vivendo um processo de mudanças, e/ou porque não utilizar a palavra “revolução” no mercado séries.

HBO Go e a HBO On Demand

Atualmente a HBO possui dois serviços que chegam são bem parecidos com a Netflix, são eles a HBO Go e a HBO On Demand. Ambos os serviços oferecem acesso ao acervo completo dos canais da empresa, você pode assistir todas as temporadas de séries consagradas como The Sopranos ou Game of Thrones.

Você pode acessar o conteúdo da HBO Go, que é on-line, desde que você já seja assinante do canal através de sua TV a cabo, porém no Brasil o serviço está disponível apenas para assinantes da Sky (segunda maior distribuidora de TV a cabo do país), como sou assinante de outra empresa não tenho acesso ao HBO Go, o que me deixa bastante frustrado.

A HBO On Demand é muito semelhante. O serviço chegou ao Brasil em outubro de 2012 e está disponível para os assinantes da NET HD que tenham o pacote HBO/MAX.

Em comparação com o serviço da Netflix (comparando apenas com o aplicativo da Netflix que tenho em minha Smart TV), o serviço da HBO On Demand fica um pouco atrás, a interface do serviço deixa um pouco a desejar se comparada com a interface do Netflix, e os filmes e séries ficam escondidos, pois ficam misturados com o conteúdo do NOW que é um conteúdo pago a parte (em média R$ 9,90 por filme). Obviamente a NET dá um maior destaque a estes produtos. Também não existe uma opção para a escolha de idioma, todos os conteúdos que testei estavam todos com o idioma original e com legenda, então não é uma boa opção para quem prefere um conteúdo dublado.

A Netflix bate e a HBO reage

Depois de dominar o mercado de streaming, ou melhor, depois de criar este mercado, pois até então o mesmo não existia, a Netflix resolveu investir em conteúdos originais, e nem o maior dos otimistas imaginaria que as séries originais da Netflix fariam tanto sucesso, em especial House of Cards, que em minha humilde opinião é uma das melhores séries da década.

Vale lembrar que em breve teremos uma produção original da Netflix dirigida por José Padilha (diretor da franquia Tropa de Elite e do remake de Robocop), onde será contada a história do traficante Pablo Escobar, personagem que ganhará vida através do ator Wagner Moura.

Retomando a linha de raciocínio… Porque House of Cards se tornou uma série tão importante do lado estratégico/comercial? House of Cards é uma série inteligente, muito bem produzida, com um roteiro excepcional, algo voltado para o público adulto, classe média/alta, publico este, que por sua vez é o target da HBO.

Mas pelo visto a HBO dará uma resposta a altura em breve, e não através de uma nova série e sim copiando o modelo de negócio da Netflix. A empresa já confirmou que está estudando a possibilidade de oferecer o seu conteúdo diretamente on-line, sem a necessidade de você estar vinculado a uma operdadora de TV a cabo, você simplesmente pagaria sua mensalidade diretamente para a HBO e teria acesso a todo o conteúdo da empresa.

Sinto-me seguro para afirmar que tanto o HBO Go, quanto o HBO On Demand estão servindo como testes para algo maior, pois os números mostrados no inicio dessa matéria deixam claro que é questão de tempo até que a HBO ofereça seu produto diretamente para os usuários, sem a necessidade de um intermediário, mas sabemos que não será uma transição fácil, as operadoras farão o possível para evitar que isso aconteça pois muitos que assinam a TV a cabo pelos filmes e séries vão preferir assinar diretamente o serviço on-line da HBO.

Conheça melhor a Netflix

E já que falei sobre transição, para matar a curiosidade de alguns, contarei brevemente como surgiu o império da Netflix.

Originalmente a Netflix era uma locadora, onde você alugava os DVDs on-line e recebia via correios. Você pagava uma mensalidade mensal e o número de DVDs que você poderia alugar variava de acordo com o plano escolhido.

Seus fundadores, Reed Hastings e Marc Randolph, tiveram a visão de que o mercado de streaming seria o futuro e resolveram mudar totalmente o foca da empresa, criando um novo mercado, um modelo de negócio totalmente, inovador.

Como a empresa já era uma gigante, e o ser humano normalmente não gosta de mudanças, praticamente todos os diretores e acionistas da empresa foram contra, afinal em time que está ganhando não se mexe… #soquenao.

Os fundadores assumiram o risco, as ações da empresa despencaram na bolsa de valores, mas eles provaram que estavam certos e hoje a Netflix é esta gigante que nós conhecemos. Tenho certeza que ainda teremos um filme contando essa história!

Passado este momento de curiosidade, ou melhor, de ganho de cultura, vamos prosseguir com o tema principal da matéria.

O sucesso de Breaking Bad se deve a Netflix?

Muitas pessoas acreditam que o sucesso de Breaking Bad se deve a Netflix, outras acreditam que série ajudou o serviço a ganhar uma maior popularidade.

Na verdade acho que ambas se ajudaram, o Breaking Bad é uma série da AMC, uma emissora considerada pequena nos Estados Unidos, jamais a série teria atingido tanta gente em tão pouco tempo se não fosse pela a ajuda da Netflix. Por mais que a séria seja espetacular, acho que a estratégia de lançar os episódios da série na Netflix quase que simultaneamente com a TV ajudou muito a série a se tornar esse fenômeno mundial.

Isso mostra que a Netflix (e outros serviços similares) podem ser grandes aliados de emissoras e/ou produtoras pequenas, afinal, é muito difícil (ou era) produzir algo de forma independente, mas felizmente parece que isso está mundano.

O que será da TV A cabo?

Acho que não teremos muitas mudanças na TV a cabo a curto ou médio prazo, provavelmente ela deve continuar conveniada com a HBO, mesmo que a empresa lance o seu serviço independente. Além disso não existe apenas a HBO. A FOX, por exemplo... Pensaram que eu ia esquecer da FOX? Do The Walking Dead? Dos Simpsoms? Jamais…

A FOX por sua vez, apesar de ser um ótimo canal ela é como se fosse a “TV aberta” da TV a cabo, pois qualquer plano mais simples de TV a cabo já possui a FOX inclusa, não que isso seja ruim, é apenas a estratégia deles e vem dando certo, saiba que não existe apenas um modelo de negócio vendedor.

Ou seja, mesmo com a eventual saída de um canal de grande porte, como a HBO, a TV a cabo continuaria contando com uma variedade enorme de canais, e dificilmente todos os canais teriam interesse em sair de lá. 

Acredito que a única diferença relevante que devemos ver na TV acabo num futuro próximo seja a queda dos preços (como sou otimista, não?), mas isso acontecerá apenas se elas começarem a perder uma fatia de mercado significante para os serviços de streaming, algo que no Brasil pode demorar um pouco mais a acontecer, pois como aqui ainda temos uma classe média em ascensão, o mercado de TV a cabo deve continuar a crescer nos próximos anos. Veja no Gráfico abaixo como o número de assinantes de TV a cabo no Brasil vem crescendo.

Mas e da TV aberta?

Vou falar apenas da TV aberta no Brasil, ok? O processo é bastante lento, mas podemos ver que aos poucos as emissoras no Brasil estão começando a investir mais em séries, a Globo que por sua vez continua muito focada em novelas, afinal, boa parte dos brasileiros ama as novelas, mas por outro lado temos um investimento cada vez maior do SBT, BAND e RECORD em séries, até mesmo a Rede TV comprou a série Dexter.

Assim como a educação e o poder aquisitivo dos brasileiros estão mudando, seus gostos também tendem a mudar, não me chamem de elitista, mas é fato que pessoas com maior nível intelectual tendem a assistir mais séries e menos novelas. Deste modo, as emissoras vão investir naquilo que o telespectador deseja.

Um fato curioso que comprova a tese acima é que nos Estados Unidos antigamente a TV era feita nivelando a inteligência dos usuários por baixo e os filmes eram considerados mais inteligente, isso veio mudando com o tempo, e hoje essa situação se inverteu, os filmes precisam ser o mais simples possível, para que qualquer pessoa com um mínimo de QI ou cultura possa entendê-lô, enquanto as séries de maior sucesso são aquelas um pouco mais “inteligentes”. 

Séries no Youtube

As séries no Youtube também podem ser uma realidade no futuro, pois o Youtube já lançou uma funcionalidade onde você pode disponibilizar o seu conteúdo apenas para assinantes pagos, obviamente que o Youtube ficará com uma fatia dos lucros. Mas se fosse apostar, apostaria que as grandes produtoras deverão investir em serviços próprios.

Também existe a possibilidade das produtoras lançarem suas séries de forma gratuita no Youtube para rentabilizar apenas com a publicidade exibida no vídeo, mas acho que isso não se aplica a grandes produções, pois certamente se você cobrar R$ 19,90 por mês de assinatura renderá muito mais que a participação na receita dos vídeos que o Youtube repassaria.

Pirataria e séries on-line

Que atire a primeira pedra quem nunca baixou um episódio de uma série num site de pirataria, via torrent, ou simplesmente assistiu on-line. Mas muitas vezes a própria distribuidora tem sua parcela de culpa, por exemplo, você perdeu um episódio da série que você adora, no dia seguinte todos na escola, universidade, ou no trabalho estarão comentando sobre o assunto. No twitter e no facebook vai chover spoiler! O que você vai fazer? Vai no site do canal e assiste aquele episódio que você perdeu, certo? Nem que tenha de pagar uma taxa por isso!

Mas peraê, a maioria dos canais não oferecem essa opção, então o que fazer? 

Eu por exemplo, sou assinante do pacote completo da TV a cabo, se eu perco o episódio de The Walking Dead, a reprise passa dois dias depois em meu horário de trabalho, então não teria como eu ver. Estaria cometendo um crime ao baixá-lo uma vez que já paguei por esse conteúdo? Não seria mais fácil a FOX disponibilizar esse conteúdo para seus assinantes?

Peguei a FOX como exemplo, pois The Walking Dead é a série mais assistida do momento, mas o exemplo cabe perfeitamente em todas as demais emissoras de TV.

Que fique claro que não apoiamos nenhum tipo de pirataria, mas já passou da hora das distribuidoras e dos canais de TV começarem a se mexer. 

Agora existe também o caso das pessoas que acham correto baixar o conteúdo gratuitamente simplesmente porque existem um “trouxa” para pagar pela produção daquele conteúdo. Este é o tipo de pensamento que não devemos ter, se queremos algo, devemos pagar por ele, lutar para que tenha um preço justo e para que o serviço oferecido seja de qualidade. Afinal, se todos pensassem assim não teríamos nossas adoradas sérias. Certo?

Além disso o consumo de pirataria pode causar um grande mal a médio e longo prazo. Pense comigo, cada vez mais vagas de emprego desaparecem por causa da tecnologia, então, cada vez teremos mais pessoas migrando para as “indústrias criativas” e para que essas pessoas possam manter seus empregos, os consumidores, precisam entender que ninguém deve trabalhar de graça.

Finalizando…

Acho que o futuro já chegou! Fico feliz por hoje poder assistir minhas séries na hora que quero, seja através do NOW (HBO On Demand) ou através da Netflix. Apesar de possuir o pacote completo de canais na TV a cabo, passo mais tempo nestes serviços que em todos os demais canais de séries da TV a cabo juntos. 

Queria deixar claro que esta não é uma matéria patrocinada por nenhuma empresa, por mais que tenha focado bastante na Netflix, FOX, e na HBO, o que falei sobre ambas vale também para as demais empresas similares. 

E você, como assiste suas séries? E como imagina assisti-las daqui há dez anos?

Por Marcos Magalhães

 


Mais matérias...

Comentários (4)

Deixar um comentário


Fer Val Paz comentou: Texto interessante, além disso eu acho que a HBO Online é abrangente em séries e filmes, uma boa programação para assistir online! 05/09/2014 | Responder

Gustavo Fernandes comentou: Muito boa a matéria, faz tempo que o Cinema 10 não publicava algo assim! 20/03/2014 | Responder

Fox Slater comentou: O problema da netflix e que so tem serie chata esse breaking bad e horrivel como podem gostar disso a tv a cabo tem grande variedade portanto e melhor 18/03/2014 | Responder

Myzael Jhonatas comentou: bom eu vou ser sincero, como colecionador gosto dos meus filmes ou séries tudo original de preferencia em BLURAY, mais antes de comprar eu baixo na internet, se eu ver que vai valer a pena, compro original de preferencia em bluray!!! é como diz a matéria, SE QUEREMOS ALGO, TEMOS QUE PAGAR POR ELE!!! 17/03/2014 | Responder
Daniel respondeu: baixo tudo gratis! 17/03/2014

André Ribeiro respondeu: Viva o uTorrent! 31/03/2014