Publicada em 18/02/2017 às 15:50

Comente


Vitórias (e derrotas) mais surpreendentes do Oscar

No Oscar, assim como na vida, quem perde injustamente passa a torcer para que a justiça apareça com o tempo. Muitos filmes, diretores e atores não levaram a estatueta para casa, mas hoje são lembrados com mais respeito e admiração que os vencedores da noite. Confira alguns casos em que a vitória (e a derrota) chocaram e desafiaram a fé na sanidade dos votantes! 
 
A cerimônia do Oscar deste ano acontece no dia 26 de fevereiro, em Los Angeles. 

Marisa Tomei

Marisa tomei

Pobre Marisa. Graciosa, expansiva e enérgica em Meu Primo Vinny. Isso é fato, mas muitos questionam se um trabalho tão superficial merecia ter sido indicado. Pois não só foi, como derrotou a gigante Vanessa Redgrave, por Retorno a Howard's End, favorita na categoria de Atriz Coadjuvante, em 1993. O susto foi tamanho que muito se perguntam até hoje se o ator Jack Palance, que anunciou o prêmio, não o leu errado. 

Bob Fosse 

bob fosse

Em 1973, O Poderoso Chefão ganhou o Oscar de Melhor Filme, Melhor Ator (Marlon Brando) e Melhor Roteiro Adaptado. Mas Francis Ford Coppola perdeu o prêmio de Melhor Diretor para Bob Fosse, pelo filme musical Cabaret. Pois é. 

Crash

Crash

Muitos críticos ainda não engoliram que esse drama mediano, até algo manipulador, derrotou o belíssimo Brokeback Mountain na disputa para Melhor Filme em 2006. A decepção é tanto que até o diretor do filme, Paul Haggis, disse em uma entrevista há dois anos: "Crash foi o melhor filme do ano? Eu não acho". Se até o cara tá dizendo, né, Academia! 

Gwyneth Paltrow

Gwyneth Paltrow

Pobre Gwyneth. Graciosa, expansiva e enérgica em Shakespeare Apaixonado. Mas assim como o Caso Tomei acima, um trabalho tão fofinho merecia ganhar? No mesmo ano, a então desconhecida Cate Blanchett deixou meio mundo de queixo caído com seu trabalho como a Rainha Elizabeth I em Elizabeth. A vitória de Gwyneth provou que as habilidades de marketing da Miramax eram incontroláveis. 

Shakespeare Apaixonado

Shakespeare in Love

Continuando o caso acima, a comédia romântica derrotou, em 1999, O Resgate do Soldado Ryan como melhor filme (mas não Steven Spielberg como diretor). 

Cidadão Kane

Cidadão Kane

Muitos reconhecem Cidadão Kane como o maior filme de todos os tempos. Porém, em 1942, o filme ganhou apenas o Oscar de Melhor Roteiro Original. Como Era Verde o Meu Vale levou os prêmios de filme, diretor, entre outros. 

Jennifer Lawrence

Jennifer Lawarence

É preciso repetir? Ver Caso Tomei e Caso Paltrow acima. No mesmo ano em que as mais experientes e igualmente exuberantes Naomi Watts (O Impossível) e Jessica Chastain (A Hora Mais Escura) concorriam, além da veteraníssima Emmanuelle Riva (Amor), foi a jovenzinha Lawrence quem subiu ao palco - não sem antes tombar na escada com seu vestido bufante. 
 
 

Eddie Redmayne

Eddie Redmayne
 
Não é que não tenha sido merecido. O trabalho de Redmayne como o físico Stephen Hawking - com foca na deterioração física causada por uma doença degenerativa - e A Teoria de Tudo é de uma precisão arrepiante. Mas o ano era de Michael Keaton, que se entregou de corpo e alma em Birdman, interpretando uma personagem que falava muito sobre sua própria história e sobre a crueldade do showbizz. Keaton foi visto, inclusive, guardando o discurso que tinha escrito para o momento...
 
Gostou da lista? Alguma vitória ou derrota no Oscar você considera injusta? Deixe seu comentário abaixo! 
 
Por Fabíola Cunha

Mais matérias...

Comentários (0)

Deixar um comentário


Nenhum comentário, ainda. Seja o primeiro a comentar!