Negociação entre roteiristas e produtores pode parar Hollywood de novo

Publicada em 25/03/2017

Comente


Greve
Passeata durante a greve de 2007
 
Brace yourselves! Hollywood está muito perto de uma greve de roteiristas. As negociações entre o sindicato de roteiristas e a associação de produtores de cinema e TV (siglas WGA e AMPTP) para estabelecer um novo contrato de trabalho estão paradas. 
 
Segundo o site Deadline, a WGA pode realizar uma votação pela greve a qualquer momento. A última grande greve de roteiristas foi em 2007 e se você acha que não reflete no seu dia a dia, pense de novo: séries são paralisadas, temporadas atrasam e histórias ficam sem conclusão. Para quem acompanha qualquer show, isso significa meses de espera por uma conclusão. 
 
O contrato que está sendo negociado entre patrões (produtores) e empregados (roteiristas) é de três anos para cinema e TV. As conversas começaram em 13 de março e terminam oficialmente dia 1º de maio. 
 
A WGA, que representa os roteiristas, está tentando reverter as perdas salariais de seus associados que trabalham com televisão, e aumentar os ganhos de roteiristas de cinema - com menos filmes sendo lançados na última década, os ganhos da categoria caíram vertiginosamente. 
 
Ainda será decidido, provavelmente neste fim de semana, se haverá votação pela greve por parte da WGA. 
 
Em 2007, a greve durou 100 dias. Séries como Lost, 30 Rock, The Office e Gossip Girl foram afetadas. Os canais brasileiros de TV paga tiveram que recorrer a reprises, já que o número de episódios gravados com antecedência não foi suficiente para suprir mais de 3 meses sem produção. 
 
Atores como Steve Carell e Tina Fey aderiram à greve em solidariedade aos roteiristas. Embora sejam estrelas e não tenham problemas salariais, a adesão de nomes famosos fortalece o movimento para os "peões", que ganham menos e pela tabela do sindicato. 
 
Não deixe de conhecer nossa seção de melhores séries e o arquivo de filmes!
 
Por Fabíola Cunha

Comentários (0)

Deixar um comentário


Nenhum comentário, ainda. Seja o primeiro a comentar!