Cowboys & Aliens (1)

Publicada em 09/09/2011 às 12:52

Comente


Cowboys & Aliens

Quantas vezes não nos deparamos com aquela cena de um cara sozinho, com uma aparência estranha e a mente vaga, no meio de um lugar qualquer sem saber de onde veio e para onde irá? Só que ele mal sabe, mas está sendo observado por alienígenas! Junte a essa perigosa mistura com bando de forasteiros assustados querendo ao mesmo tempo resgatar os parentes e fugir e temos Cowboys & Aliens (Idem – 2011).

Em 1873, no deserto do Arizona, o tal cara perdido, ferido e com uma pulseira de alta tecnologia “grudada” em pulso esquerdo é Jake Lonergan (Daniel Craig). Ele não lembra de nada, aliás, nem do próprio nome. Enquanto procura respostas para as perguntas que certamente até o telespectador está se fazendo, Jake é intimado por três forasteiros que não querem apenas ajudá-lo. A rapidez com que o protagonista extermina o trio de inimigos, dá a dica que ele não é tão inocente como pode aparentar.

Jake resolve ir curar o grave ferimento na cidade de Absolution, um típico lugar de filmes de faroeste, sempre habitado por figuras de confiança duvidosa. Lá conhece a figura de Percy Dolarhyde (Paul Dano), um típico arruaceiro filhinho de papai que bebe umas a mais e resolve bagunçar a região.

Nessas de bancar o valentão, Percy acaba exagerando ao tentar assustar Jake e é preso pelo Xerife Taggart (Keith Carradine), que acaba levando Jake também após reconhece-lo como o chefe de uma gangue da região. É lógico que todo playboy tem um pai com costas quentes  e ele atende pelo nome de Coronel Woodrow Dolarhyde (Harrison Ford). Woodrow resolve aparecer, junto com os seus homens para salvar a pele do filho e pedir o couro de Jake, acusando o protagonista de ter levado o seu ouro durante um ataque a uma carruagem.

Durante o circo que se forma em Absolution, algo de muito estranho acontece: naves alienígenas começam a atacar a cidade. Mas pera lá: não estamos nos dias atuais, e sim no século 19! Em meio ao pânico, alguns moradores, entre eles Percy e Taggart, são sequestrados. Jake percebe que a pulseira que está presa em seu braço serve para algo a mais além de um simples enfeite e dispara contra os inimigos, terminando o ataque.

Por mais diferenças que possam ter, Jake e Woodrow sabem agora que precisam unir as forças para derrotar os alienígenas. Durante a missão, serão acompanhados pela misteriosa Ella (Olivia Wilde), que sabe mais sobre Jake e seu “brinquedinho” de disparar laser do que o próprio herói e o eficiente e cabisbaixo Doc (Sam Rockwell) .

Mesmo com o elenco poderoso, o filme deixa um pouco a desejar – Craig no início chega a fazer piada de James Bond enquanto Harrison Ford carrega o visual Indiana Jones e a força de vontade de encarnar Han Solo.  No final, cansa um pouco a sucessão de clichês que nada acrescentam a trama e deixa a sensação que algo mais interessante poderia ser criado. Levando-se em conta que o diretor Jon Fraveau (Homem de Ferro) tinha em mãos uma interessantíssima e absurda premissa, a qualquer momento o filme poderia ter ido próximo ao inesquecível como Distrito 9, ou quem sabe virado um novo trash que acaba se transformando em cult como Serpentes à Bordo ou até criar um pastelão e mergulhar na farofa como As Loucas Aventuras de James West. Cowboys fica longe disso tudo e resumindo não inventa a roda e nem é ruím.

Saiba mais sobre o filme Cowboys & Aliens.

Por Jean Garnier

Comentários (0)

Deixar um comentário


Nenhum comentário, ainda. Seja o primeiro a comentar!