Planeta dos Macacos: A Origem (2)

Publicada em 12/09/2011 às 15:11

Comente




Tendo em vista todas as sequências que teve o primeiro Planeta dos Macacos (1968), contando inclusive com o remake (2001) homônimo de Tim Burton, a notícia de (mais um) título para a franquia gera o puro e simples medo. É um blockbuster, claro, e, sendo assim, a produção foca mais no retorno financeiro e acaba negligenciando o roteiro e demais detalhes capazes de tornar o longa mais inteligente e, consequentemente, uma obra-prima.

Foi bastante difícil abandonar o preconceito e ir ao cinema, mas o esforço valeu a pena. Sem expectativas, foi fácil notar que o filme não era tão acéfalo quanto um blockbuster costuma ser. Embora os CGs sejam incapazes de reproduzir um macaco tão convincente quanto aquele King Kong do Peter Jackson e seja, a princípio, de uma humanidade estranhíssima, César nos conquista com sua racionalidade selvagem, principalmente pela excelente interpretação de Andy Serkis (que, convenhamos, merece algum prêmio!). Serkis, que interpretou também o Gollum (Senhor dos Anéis), Haddock (As Aventuras de Tintim) e Kong (King Kong), transmite com maestria mais do que esperaríamos de um mero macaco cognitivamente mais evoluído.

James Franco e John Lithgow contribuem enormemente para o elenco. Franco, condizente com o papel, equilibra adequadamente o filho desesperado, o cientista esperançoso e o mentor impressionado e orgulhoso, enquanto Lithgow se enquadra perfeitamente no personagem, oscilando entre os sintomas do mal de Alzheimer e a lucidez completa. Vale ressaltar que Tom Felton (o Draco de Harry Potter) parece ter ficado maculado como o idiota perverso.

É, de fato, uma pena que o roteiro não seja capaz de acompanhar o que o filme tem de melhor. Os dois primeiros atos nos maravilham, ainda que percorrendo por alguns clichês, ganham a confiança do espectador, para, no último ato, destruir o que haviam conquistado. Poderia ter sido épico! Mas optaram por cenas de ação, com sequências que punham em xeque dados anteriormente fornecidos. Um estrago! Enfim, o blockbuster se revela.

Sendo a origem, esperamos pingos nos is (e cada macaco no seu galho, etc.). Eles nos são dados, mas ao invés de se tornar um clássico ao lado do original, rumam pelo caminho errado e caem nas mãos do comum, do óbvio e do, infelizmente, pouco marcante. Não irei me admirar se em pouco tempo a maioria tiver esquecido essa produção. Tampouco ficarei surpresa caso as próximas gerações continuem a assistir o clássico de 1968 e nem sequer saibam da existência desse de 2011.

Saiba mais sobre o filme Planeta dos Macacos: A Origem.

Por Laísa Trojaike

Comentários (3)

Deixar um comentário


wellington de almeida cruz comentou: Simplesmente 10!
A origem me deu a capacidade de entender de onde vieram os macacos, pois, na série planetas dos macacos de 1968 eu pensava que eles vinhão de um outro planeta ou estavam em outro planeta, por tanto a origem é 10.
Nota 10 Responder

iuri comentou: Laísa quem ?rs 'Entendo a não satisfação do crítico, prefere viver em um mundo de completa fantasia, mas faltou entender que para o complemento de uma fantasia devemos ter um toque de realidade e essa abordagem da "origem" foi perfeita, espero que tenha uma continuação...Nota 9 pelo filme. Nota 9 Responder

G.G. Oliveira comentou: O filme: "Planeta dos Macacos: A Origem", sem dúvida é um , digamos, que expléndido longa; no qual consegue mesclar emoção, ação, e "ciência" num modo que não fique saturado e cansativo. Neste desde o ínicio até o fínal, não tem aquela cansativa "enrolação", que eu sinceramente acho "chato" aqueles filmes nos quais contém experimentos ciêntificos, que por sua vez mostra passo a passo desde o pricípio até o fínal de determinado experimento. "Planeta dos Macacos: A Origem", é muito diferente disso ,cujo este é um filme envolvente e comovente, com um enredo e roteiro simplesmente ótimos, cujo estes são bem cotados para ,o "Oscar" 2011.
Portanto, "Laísa Trojaike", dicordo de você com todo o respeito, ao dizer que "Planeta dos Macacos: A Origem" não será lembrado, e nem ao menos deixará saudades, pois no entanto, em minha percepção de crítico de cinema da "Revista 'O Mundo' de BH, Minas Gerais , sugiro que você aprecie os bons filmes com olhos envolventes, e não somente de críticas negativas. Enfim, "Planeta dos Macacos: A Origem", Contrariando alguns ( que são pouquissímos ), deixará saudades SIM, com o seu ótimo roteiro e sua admirável direção, isto sem mencionar os efeitos especiais abruptadamente impressionantes, digasse por passagem,em meu ponto vista ( e da maioria também ), é um filme muito bom , e após ter o prazer de acompanhar este "Remake", me reanimo a ir no cinema, e sempre ter a esperança de poder acompanhar ótimos longas, como "Planeta dos Macacos: A Origem" que me proporcionou essa "Proeza".

*OBS*: ( A minha nota "9", se deve somente ao fínal, em que neste passa após "As letrinhas" e "notas" principais do filme,no qual é um pouco curto demais. Porém bem explicado, é importante ressaltar ); .

Nota 9 Responder