Pronta Para Amar

Publicada em 10/10/2011 às 18:29

Comente

Pronta para Amar

Um Pedacinho do Céu.

Sem dúvida, a tradução literal do título original (A Little Bit of Heaven) caberia melhor nessa produção. Mesclando todos os clichês tradicionais de comédias românticas com um delicado tema dramático, Pronta para Amar quase cai nas armadilhas perigosas do duplo-gênero, mas consegue separar, com decência e simplicidade, o “joio do trigo” (parábola bíblica que cabe bem aqui) graças à boa direção de Nicole Kassell e a atuação sincera, apesar de coadjuvante, de Kathy Bates.

Mesmo com Bates sendo o forte destaque da trama, o elenco é esforçado. O sempre eficiente Gael García Bernal empresta carisma ao Dr. Julian Goldstein, comprovando, mais uma vez, a sua versatilidade. Kate Hudson, no papel central, interpreta a mesma personalidade de quase sempre, fazendo com que surja uma dúvida: seria aquela personagem uma atuação construída ou, na verdade, o que se vê é uma versão (entre tantas) da própria Kate Hudson com outro nome e na situação imposta pelo roteiro? Não fosse Nine, seria fácil duvidar da capacidade criacionista da atriz. Isso pode ser bom quando se descobre a expressão “esse filme foi feito para você” pela primeira vez e, talvez, pela segunda. Mas, quando tantos e tantos filmes parecem se encaixar no mesmo paradigma, o resultado de cada interpretação vai ficando rapidamente afetado.

Kassell, que dirigiu o ótimo O Lenhador, parece dominar a arte da sensibilidade, conduzindo a história e seus perigos temáticos com clareza absoluta. Com piadas que não deveriam afetar negativamente nem mesmo alguém com os mesmos sintomas de Marley Corbett (personagem de Hudson), o roteiro ingressa, gradativamente, em um drama real, livre de caricaturas e capaz de fazer rir (sem grandes gargalhadas) ou chorar (intimamente) num processo que vai se tornando mais introspectivo ao se encaminhar para os minutos finais.

A trilha ilustra sonoramente com cuidado as situações, enquanto a fotografia (ao lado da direção de arte e do figurino), com detalhes raramente vistos em comédias românticas banais, trabalha com as cores com o intuito de não machucar e de abrandar o tema que, sim, é arriscado e forte.

Certamente, vale, ainda, ressaltar as participações de Whoopi Goldberg, interpretando ela mesma com uma bonita naturalidade e, também, aquele que dá título à versão original: Peter Dinklage. Seu personagem, Vinnie (apelidado de Pedacinho do Céu), exalta a capacidade do ator como comediante e, ainda mais, como persona dramática. Fazendo um paralelo muito discreto com a personagem de Whoopi, Dinklage poderia ser, sem dúvida, um pedacinho personificado do que Marley via enquanto sonhava. A redenção da moça. O ápice de um filme que jamais poderia ter seu título tão mal traduzido.

Bons e ruins filmes para nós!

Saiba mais sobre o filme Pronta Para Amar.

Por Sihan Felix - @sihanfelix

Comentários (1)





Fran comentou: Gostei bastante do filme...deu pra rir e chorar sem grande exagero. Li muita critica a Gael nesse filme, particularmente gosto do ator, e acho que ele está muito bem nesse filme.

Realmente é questionável a atuação de Kate Hudson-sempre o mesmo de sempre, poderia dizer q ela não atua ela é o q é, mas segundo os meios de comunicação ligados a fomosos ela é bem intragável[fofoca,risos], então ela deve ser uma boa atriz ou não- cabe a dúvida, todas absolutamente todas atuações dela são idênticas, a diferença nesse filme é que em alguns momentos ela aparece menos bonita[para aparentar doente].

Final fofo!!
Nota
Responder