Crítica | Nomadland: uma jornada cheia de camadas

Publicada em 26/01/2021 às 11:38

Comente

Divulgação/Searchlight Pictures

Depois de viver um colapso econômico e perder o marido, uma viúva decide cair na estrada com sua pequena van equipada somente com o necessário. Fora da sociedade convencional, ela se torna uma nômade moderna, enfrentando dificuldades e fazendo novos amigos enquanto cruza os Estados Unidos.

Dirigido, roteirizado e editado por Chloé Zhao, o filme é baseado no livro Nomadland - Surviving America in the Twenty-First Century da jornalista Jessica Bruder e levanta grandes reflexões sobre o sistema capitalista e o essencial da vida. Temas como luto, solidão, necessidade e desemprego são muito bem abordados dentro dessa jornada nômade inspirada em vidas reais. 

Divulgação/Searchlight Pictures

Na obra, acompanhamos Fern (Frances McDormand), uma mulher forte em busca de liberdade e cura para suas angústias. O elenco de atores conhecidos é pequeno, pois muitos nomes presentes na trama são pessoas de verdade. Linda May, Charlene Swankie e Bob Wells são exemplos de nômades reais que aparecem no filme. Então, a protagonista saiu do roteiro adaptado diretamente para um contexto de mundo completamente realista.

Por isso, algumas cenas de Nomadland tomam uma forma quase documental. Diálogos e momentos de interação não parecem parte de um roteiro, mas de um experimento em captar a vivência crua da Fern de Frances McDormand dentro da realidade abordada. Toda a obra faz parte de um grande planejamento que une fato real com uma narrativa dramática poderosa e emocionante.

Os direitos do livro foram adquiridos em 2017 pela própria McDormand junto ao produtor Peter Spears. Sua aposta em contratar a diretora chinesa Chloé Zhao resultou em uma obra sensível e importante para os tempos atuais. O longa já venceu o Leão de Ouro do Festival de Veneza e o prêmio do Melhor Filme do Gotham Independent Film Awards, provando que merece ser visto. 

Sustentado por uma história simples e tocante, Nomadland ainda conta com uma boa trilha sonora realizada pelo compositor italiano Ludovico Eunadi. O trabalho do pianista se unifica com o olhar de Zhao, entregando uma obra completa e cheia de debates significantes.

Enquanto o filme não é lançado no Brasil, leia mais sobre Nomadland no Cinema10.

Por Samanta Renck de Carvalho


Mais matérias...

Comentários (2)





GUILHERME RAFAEL DE OLIVEIRA comentou: Fiquei interessadíssimo!!! Vou tentar assistir assim que possível Responder

Andreza comentou: Ótima resenha! Me deu vontade de assistir! Responder