Disney+ exibe alerta de conteúdo racista em filmes antigos

Publicada em 15/11/2019

Comente


Disney+ exibe alerta de conteúdo racista em filmes antigos
Foto: Divulgação/Disney

A Walt Disney Pictures começou a trabalhar com produções fílmicas na década de 20, com curta-metragens, e teve seu primeiro longa animado lançado em 1937, A Branca de Neve e os Sete Anões. De lá pra cá muitas coisas mudaram, não só quanto a tecnologia aprimorada em suas produções, mas sua percepção social. 

Muitos filmes antigos, como Fantasia (1940), Dumbo (1941) e A Dama e o Vagabundo (1955) exibem cenas racistas, com estereótipos e interpretações grotescas aos negros e à cultura africana — situações que não eram tão discutidas na época, mas hoje são inaceitáveis. 

Com a chegada do Disney+ e a premissa de disponibilizar todos os filmes do estúdio em uma única plataforma, a Disney precisava de uma alternativa para não censurar seus projetos, mas ao mesmo tempo alertar o público que se tratam de concepções ultrapassadas e preconceituosas.

Dessa forma, tais produções vem acompanhadas de um aviso na sinopse, que diz: "Este programa é apresentado como originalmente criado. Pode conter representações culturais desatualizadas".

Confira um print, em inglês, da sinopse de Dumbo com o aviso:

Disney+ exibe alerta de conteúdo racista em filmes antigos
Foto: Twitter/Animated_Antic

Entretanto, não houve salvação para A Canção do Sul (1946): o filme foi concebido de forma totalmente racista e com visão glorificada da escravidão, como descrito pela Associação Nacional para o Avanço das Pessoas de Cor (NAACP) em carta à Disney. O longa nunca foi lançado em DVD e também não foi disponibilzado no Disney+, a fim de garantir que o filme nunca mais seja assistido.

O Disney+ só será lançado no Brasil em novembro de 2020.

Por Karoline Póss

Comentários (0)

Deixar um comentário


Nenhum comentário, ainda. Seja o primeiro a comentar!