Chefão da The Weinstein Company se afasta do cargo após acusações de agressão sexual

Publicada em 07/10/2017

Comente


Harvey Weinstein
Harvey Weinstein

O magnata do cinema Harvey Weinstein, fundador dos estúdios Miramax (já fechado) e The Weinstein Company, anunciou seu afastamento por tempo indeterminado do comando da empresa.

Weinstein está sendo acusado por diversas mulheres de assédio e abuso sexual, em mais um capítulo do levante feminino contra agressores no showbiz americano. 

Nesta semana o jornal The New York Times publicou uma reportagem que expõe um comportamento agressivo, criminoso e sistemático de Weinstein contra mulheres, usando de seu poder para exigir favores sexuais em troca de avanços na carreira. 

A atriz Ashley Judd é uma delas. Ela já havia relatado o assédio sem ter revelado o nome do assediador, mas falou à reportagem do TNYT. Weinstein emitiu um comunicado e disse "sentir muito" pela dor causada às colegas. Também disse que vai procurar terapia.

A divulgação da reportagem do TNYT causou um furacão em Hollywood. Dois executivos da empresa pediram demissão. Uma repórter da Fox News expôs uma agressão sexual contra ela ocorrida em 2005. 

A autora Mika Brzezinski, que fechou acordo com a companhia de Weinstein, ameaçou cancelar o contrato caso o chefão do estúdio não abandone o cargo. 

Aos 65 anos, Weinstein tem um Oscar pelo filme Shakespeare Apaixonado (pela Miramax) e distribuiu nos Estados Unidos outros dois vencedores do prêmio em 2011 e 2012: O Discurso do Rei e O Artista (já pela The Weinstein Company).

O caso Weinstein é mais um em uma série de exposições feitas por mulheres contra os homens da indústria do cinema e TV. Nos últimos anos, mais e mais mulheres têm conseguido falar sobre as agressões sofridas, embora ainda haja uma "lei do silêncio" em vigência. 

Diretores como David O. Selznick, Alfred Hitchcock, Woody Allen, Roman Polansky e o ator Casey Affleck foram acusados de diferentes formas de agressão sexual contra mulheres (no caso de Allen e Polansky, crianças). 
 
Atrizes como Charlize Theron, Thandie Newton, Gwyneth Paltrow, Helen Mirren e Zoe Kazan relataram publicamente assédio sofrido durante testes para conseguir papéis no início da carreira. 

Por Fabíola Cunha

Comentários (0)

Deixar um comentário


Nenhum comentário, ainda. Seja o primeiro a comentar!