Brigas famosas entre artistas de séries e filmes

Publicada em 13/08/2016 às 16:25

Comente


A série Criminal Minds está no ar desde 2005 e, entre seus protagonistas, está o chefe do setor de Análise Comportamental, Aaron Hotchner. O personagem deve deixar a série pois, recentemente, o ator Thomas Gibson agrediu um roteirista do programa com um chute e foi demitido pela produção. 

Como todos sabemos, conviver com colegas de trabalho, sob o stress e pressão do cotidiano, pode ser bastante enervante. Imagine estar em uma produção do cinema ou TV onde milhões, às vezes bilhões, de dólares estão envolvidos - sem falar nos egos e interesses igualmente gigantescos. 

Algumas situações ficaram famosas e serviram para aumentar o fascínio por uma obra, ou para afundá-la no fracasso. Veja alguns casos abaixo:

Joan Crawford e Bette Davis

Bette Davis e Joan Crawford

No clássico O que Aconteceu com Baby Jane? Crawford e Davis interpretaram irmãs e rapidamente começaram a se odiar durante as filmagens. O filme foi lançado com ótimas críticas e é um marco na carreira de ambas.

Mas isso não diminuiu a antipatia mútua: Davis foi indicada ao Oscar pelo filme e Crawford, que não foi indicada, se ofereceu para receber o prêmio no lugar de todas as outras atrizes que poderiam vencer. Quando Anne Bancroft venceu, ou seja, derrotou Davis, Crawford subiu ao palco para receber em seu lugar - apenas para provocar a inimiga.

A briga entre as duas é tão notória que vai ser contada na priimeira temporada de Feud, série do mesmo criador de História de Horror AmericanaRyan Murphy. As atrizes Susan Sarandon e Jessica Lange vão dar vida à Davis e Crawford, respectivamente. 

Werner Herzog e Klaus Kinski

Werner Herzog e Klaus Kinski

Registrados pelas câmeras, os ataques de fúria de Kinski eram desses que parecem por fim a qualquer projeto. Mas o diretor Herzog trabalhou com ele não apenas uma, mas cinco vezes: Aguirre, a Cólera dos Deuses; Woyzeck; Fitzcarraldo; Nosferatu e Cobra Verde.

A relação dos dois era profunda, complexa e vulcânica, sempre inflamada pelas filmagens difíceis dessas obras e pela megalomania e quase insanidade de ambos. Em uma famosa situação, Kinski disse que iria abandonar as filmagens de Aguirre e saiu andando.

Herzog mostrou a ele uma espingarda e disse que tinha 9 balas: 8 estariam no corpo de Kinski antes dele chegar à curva do rio onde trabalhavam, a última seria para o próprio diretor. Kinski ponderou e voltou ao trabalho. Em 2001, Herzog dirigiu o brilhante Meu Melhor Inimigo, no qual analisa sua relação com o ator. 

Tom Hardy e Alejandro González-Iñarritú

Alejandro e Hardy

Embora o filme seja lembrado pelo urso que tentou devorar Leonardo DiCaprio, e pelo esperado Oscar vencido pelo ator, as difíceis filmagens de O Regresso também chamaram atenção dos fãs. A tensão entre Tom Hardy, que interepreta o trapaceiro que deixa o protagonista para morrer, e o diretor Alejandro González-Iñarritú chegou a um ponto em que ambos partiram para a briga - ou algo assim.

Segundo Hardy "quando as coisas ficam meio sérias, eu sugiro um abraço em frente à equipe...e terminou conosco rolando sobre a neve. Mas acho que é uma coisa boa. Se eu for considerado encrenqueiro por fazer isso, então prefiro ser encrenqueiro e já liberar de vez a tensão". Os dois apareceram juntos, de forma bem amigável, na divulgação do filme, então ou os dois são bem falsos ou esse "método" de relaxamento de Hardy funciona mesmo!

Christian Bale e um pobre diretor de fotografia

Christian Bale

Não se pode chamar isso de briga. Foi mais uma explosão do ego descontrolado de Bale, que vociferou um monólogo de ofensas contra o diretor de fotografia durante as filmagens de Exterminador do Futuro 4: A Salvação.

Segundo Bale, Shane Hurlbut estava atrapalhando sua atuação por estar andando pelo set, atrás das câmeras, durante uma cena. A diva Bale ameaçou até mesmo se demitir caso Hurlbut andasse pelo set de novo.

Como a birra foi gravada, executivos da Warner Bros. enviaram uma cópia do vídeo para a seguradora da produção, onde ocorreu o vazamento para a imprensa. Veja o momento:

Charlie Sheen e Chuck Lorre (e Jon Cryer)

Jon Cryer e Charlie Sheen

Charlie Sheen ganhava milhões de dólares interpretando uma versão um pouquinho mais amigável de si mesmo em Two and Half Men quando ele teve não uma explosão, mas uma implosão, que acabou com sua demissão.

Após um bom tempo sóbrio, Sheen se divorciou e voltou para as drogas, algo perceptível em sua aparência a partir de 2010. Segundo Cryer, que interpretava o irmão boboca de Charlie, Alan, os problemas foram piorando gradativamente até que, no início de 2011, sendo pressionado pelos executivos, Sheen gravou algumas cenas do programa e abandonou os sets.

Foi então demitido e começou a jogar suas verdades no ventilador. Entre as atitudes de Charlie pós-show estão divulgar o telefone de Lorre publicamente, fazendo com o que o criador da série recebesse tantas ameaças de morte que foi obrigado a contratar seguranças. Veja uma entrevista com o ator Jon Cryer, sobre como era trabalhar com Sheen nos últimos dias: 

Kenny Baker e Anthony Daniels

R2D2 C3PO

Recém-falecido, Kenny Baker é o corpo por baixo da armadura do personagem R2D2 em Star Wars. Sempre ao seu lado, está o ansioso C3PO, papel de Anthony Daniels. Os dois personagens vivem discordando e se cutucando, sendo o alívio cômico da franquia.

Mas segundo Baker, em entrevista concedida há alguns anos, a tensão entre os dois acontecia na vida real também: "Eu achava que era só comigo que ele não se dava bem, mas descobri que ele tem esse problema com todos. Ele sempre foi uma pessoa estranha. Se ele apenas se acalmasse e socializasse, poderíamos ter feito uma fortuna em turnês e aparições públicas. Ele é rude com todos, incluindo os fãs", disse Baker, sobre Daniels.

Bom, com a morte de Baker, Daniels não vai ter que se preocupar em ser "incomodado" com solicitações de parceria.

Por Fabíola Cunha


Mais matérias...

Comentários (0)

Deixar um comentário


Nenhum comentário, ainda. Seja o primeiro a comentar!