Manchester à Beira-Mar

  • Manchester by the Sea

  • Estreia:
    19/01/2017
  • Estreia DVD:
    26/04/2017
  • Gênero:
    Drama

  • Duração:
    135 min.
  • Origem:
    Estados Unidos
  • Direção:

    Kenneth Lonergan

  • Roteiro:

    Kenneth Lonergan

  • Distribuidor:

    Sony Pictures

  • Classificação:
    14 anos
  • Ano:
    2016
0 voto
1 voto
0 voto
3 votos

Sinopse

Lee Chandler (Casey Affleck) está abalado com a perda de seu irmão. Agora, ele tem uma grande responsabilidade pela frente, pois tem de criar o sobrinho adolescente. E Lee sente muita dificuldade em lidar com o jovem.

Curiosidades

  • Manchester à Beira-Mar venceu o Oscar de Melhor Ator (Casey Affleck) e Roteiro Original e foi indicado nas categorias: Filme, Diretor (Kenneth Lonergan), Ator Coadjuvante (Lucas Hedges) e Atriz Coadjuvante (Michelle Williams).
  • Casey Affleck venceu o Globo de Ouro 2017 de Melhor Ator de Drama.
  • Matt Damon foi sondado para estrelar o filme.
  • O roteiro da produção figurou na Black List 2014, dos melhores roteiros não filmados.
  • O título em inglês do filme é o mesmo de uma cidade do estado do Massachusetts, nos Estados Unidos.
  • Kara Hayward e Lucas Hedges trabalharam em Moonrise Kingdom (2012).
  • A produção marca a estreia da atriz de TV Anna Baryshnikov no cinema.

Elenco

Assistir Trailers e Comerciais



Comentários (1)

Deixar um comentário


Henrique Klein comentou: No princípio, pode parecer que Manchester à Beira-Mar trata de uma história monótona e irrelevante. Vergonha em quem pensa isso. Presenciamos um excelente exemplo de como desenvolver personagens e construir uma narrativa impecável. Nenhum filme do mesmo escalão fez isso com tanta eficiência. O filme faz com que você se sinta na pele do protagonista e saiba o que é cometer um erro e ter que conviver com ele pelo resto da vida. É um filme triste, mas com pequenos traços de esperança. A edição e a fotografia são sublimes Lucas Hedges e [principalmente] Michelle Williams estão muito bem. Casey Affleck está simplesmente primoroso e faz a melhor atuação de sua carreira, e comprova isso em apenas duas ou três cenas. A direção de Kenneth Lonergan é notável, tudo o que um verdadeiro drama necessita está presente aqui graças a ele. É um filme rico em detalhes, quase real. O verdadeiro problema está no ritmo, em que a falta de grandes acontecimentos chega a cansar. E o desfecho é de certa forma esperado, porém ainda assim decepcionante. Os minutos finais não são ideais e desconstroem tudo o que o filme vinha criando. De qualquer forma, o objetivo do filme não é ser empolgante, mas sim demonstrar que devemos sempre seguir em frente, não importa o quão forte a vida nos bata, afinal, a história só termina quando morremos. Nota 8 29/01/2017 | Responder