Vidro

Poster do filme Vidro
1 voto
1 voto
0 voto
5 votos

Sinopse

David Dunn (Bruce Willis) parte numa implacável perseguição contra o psicopata Kevin Wendell Crumb (James McAvoy), que se transformou na criatura conhecida como A Besta. Enquanto isso, Elijah Price (Samuel L. Jackson), conhecido como Sr. Glass reaparece com terríveis segredos envolvendo Dunn e A Besta.

Veja também:
Corpo Fechado (2000)
Fragmentado (2016)

 

Curiosidades

Elenco

Assistir Trailers e Comerciais



Comentários (2)

Deixar um comentário


André Ribeiro comentou: Shyamalan é um diretor ousado e sem medo em apostar em filmes de alto risco, a sua carreira decaiu tanto que o considerei um cineasta qualquer. No entanto, em “Fragmentado” ele surpreendeu, marcou a sua volta por cima em grandes filmes e se encontrando aos poucos com o seu potencial.

Em “Vidro” ele tinha a oportunidade de finalmente voltar a se firmar de vez na indústria cinematográfica, a expectativa sobre esse filme era muito alta, pois, se tratava de uma trilogia com grande chance de fechar com chave de ouro.

O filme é de difícil avaliação, pois, gostei de algumas cenas e de outras não. Vence pelo elenco que é de peso e respeito, às atuações são acima da média, especialmente de James McAvoy que é incontestável. O embate de David com A Fera é de grande impacto, mas de pouca empolgação.

Sobre o desfecho, ah!? O desfecho… Achei bem cru e humano, porém, reflexivo, mesmo assim esperava mais, faltou algo… As reviravoltas no enredo são pouco eficientes e não são tão surpreendentes quanto dos filmes antecessores.

Enfim, a conclusão da trilogia de Shyamalan não chega a ser decepcionante, mas também não alcançou a expectativa sobre o mesmo. O considero um bom filme, mas inferior os antecessores “Corpo Fechado” e “Fragmentado”.
Nota 7 26 dias atrás | Responder

Amanda Aparecida R. Santos comentou: Acompanhando as estreias da semana, vamos falar de Vidro!

Enquanto Corpo Fechado (2000) se concentrava na dúvida de se o protagonista David Dunn tinha ou não dons especiais, Fragmentado (2017) trouxe um suspense bem elaborado que somente no final demostrava se passar nesse universo criado por M. Night Shyamalan.

Esse terceiro filme se assemelha muito em ritmo e forma de narrativa com Corpo Fechado, mas dessa vez não tem tanto sucesso em construir um desenvolvimento de narrativa interessante, o segundo ato é maçante apesar de trabalhar bem com a tensão.

O filme também não tem sucesso em trabalhar bem as diferentes personalidades do personagem de James McAvoy, o que em Fragmentado era um trunfo porque as mudanças de personalidade alem de bem coordenadas tinham seu propósito para cada situação, em Vidro somos apresentados a personalidades novas que não tinham aparecido em Fragmentado, mas devido as circunstancias do personagem as mudanças são aleatórias.

É de fato interessante ver o ator James McAvoy mudando de personalidade, a atuação é tão boa quanto em Fragmentado, mas o momentos de mudança não são tão bem introduzidos, em minha opinião.

Vidro é o nome do filme e isso criou uma expectativa muito grande em relação ao personagem de Samuel L. Jackson, que reprisa seu personagem de Corpo Fechado. É a menção a ele em Fragmentado que transformou esse universo em um trilogia.

Atuação impressionante de Samuel L. Jackson, momentos de tensão onde somente com o olhar ele reage a cena e em diversos momentos o personagem demostra ter uma inteligencia muito grande.

Talvez tenha faltado objetividade em M. Night Shyamalan, em minha opinião porque apesar de tantos personagens bons o filme demora a mostrar ao que veio.

Pessoalmente o primeiro ato de reapresentação dos personagens de como o personagem do Bruce Willis vem vivendo após os acontecimentos de Corpo Fechado e o ultimo ato onde a história começa a caminhar a desenvolver a tensão são as melhores parte do filme.

Sarah Paulson é uma grande adição ao elenco, mas sua personagem fica com a missão mais maçante do filme, que é desacreditar os protagonistas de seus poderes. A atuação é muito boa, mas a personagem é mal explorada e quando no final descobrimos mais sobre a personagem, fica claro o potencial desperdiçado.

Ainda assim no geral é um filme tenso, a trilha sonoro e fotografia são interessantes que eu pessoalmente gostei bastante e mesmo com todos os incômodos já comentados o filme consegue empolgar em diversos momentos.

Esse longa-metragem é o encerramento da história que começou com Corpo Fechado (2000), mas abre com certeza a possibilidade de criação de um universo de super-heróis diferentes com seu desfecho.

O filme vale sim a pena ser visto! Vidro é a dica de hoje, se já viram deixem suas impressões no blog também. https://www.depoisdasessao.com.br
Nota 10 29 dias atrás | Responder